Esqueci minha senha!
Criar meu cadastro
Revista FIEL


Aumentar a Fonte   Diminuir a Fonte
06.01.2016
Pr. Silas Responde
A falta de comunicação no casamento pode resultar em divórcio?

A falta de comunicação é um dos principais problemas que têm colaborado para o fim dos relacionamentos. Normalmente, a falta de diálogo entre os cônjuges está relacionada ao excesso de trabalho, às divergências em casa ou simplesmente porque os cônjuges não criaram o hábito de dialogar, compartilhando seus sentimentos, sonhos, suas vontades e predileções um com o outro. Assim, muitos mal-entendidos vão acontecendo, a distância entre os dois vai aumentando e o amor vai esfriando, podendo levá-los a pôr fim ao casamento.

Existem casais cuja comunicação simplesmente não existe mais. Nem bom dia ou boa noite dão um ao outro. Eles moram na mesma casa, mas não são mais um casal; são como estranhos que moram juntos, talvez por não terem para onde ir.

Quando cônjuges que vivenciam esse problema são colocados frente a frente num gabinete pastoral ou numa psicoterapia e começam a falar de suas dificuldades, muitas vezes um diz ao outro: “você nunca me falou isso!”. Essa situação acontece porque eles geralmente abrem o coração para o pastor ou o psicólogo, mas não têm diálogo em casa. E essa é uma das principais causas do estresse e de doenças nervosas e psicossomáticas.

A comunicação é vital para o desenvolvimento intelectual e emocional do ser humano. Só podemos crescer e desenvolver-nos quando estabelecemos relacionamentos. E, para isso, precisamos usar as linguagens verbal e gestual. Se não usarmos esses dois tipos de linguagem, jamais poderemos comunicar-nos bem uns com os outros e externar nossos sentimentos, desejos, pensamentos e projetos.

Há pessoas que, por não terem aprendido a dialogar na sua família de origem ou por timidez, só falam o trivial. Não conseguem expor seus problemas, sentimentos e pontos de vista, e acabam tratando assuntos importantes relativos ao casamento com superficialidade. E o pior é que esperam que o outro as compreenda profundamente, adivinhando o que pensam e querem sem nunca terem dito nada a respeito.

É claro que existem casais que têm tanta cumplicidade que sabem exatamente o que o cônjuge está sentindo e pensando pelo olhar, semblante e o tom de voz. Mas saiba que até chegar a este estágio de comunicação profunda, não verbal, eles já dialogaram muito, expondo seu coração um ao outro.

Abra o coração para ouvir o outro e aprenda a compartilhar o que pensa, sente e deseja com ele, com sinceridade e na hora certa, pois como nos ensina a Palavra de Deus, como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo (Provérbios 25.11). Todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar (Tiago 1.19). Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas (Mateus 7.12).

Seja sábio, construindo seu relacionamento conjugal sobre a base da verdade, do amor e do respeito mútuo!

Internautas online 33