Esqueci minha senha!
Criar meu cadastro
Revista FIEL


Aumentar a Fonte   Diminuir a Fonte
14.01.2016
Pr. Silas Responde
Como podemos superar os desafios e vencer as tribulações sem desanimar ou desistir?

Todas as pessoas têm problemas, e enfrentá-los não é nada fácil. O diferencial é a forma como cada uma encara as tribulações. Isto é determinante para indicar qual direção a nossa vida irá tomar: de derrota ou de vitória. Se você deseja vencer e continuar firme em sua caminhada, será necessário encarar os problemas e crer que existe solução para cada um.

Muitas pessoas, ao enfrentar adversidades, retrocedem. Dependendo da situação, são empurradas para trás ou são neutralizadas quanto aos seus objetivos e propósitos, ficam impedidas de pros¬seguir.

O rei Davi, por exemplo, enfrentou grandes batalhas espirituais e militares, foi perseguido durante dez anos por Saul, viveu como peregrino no território inimigo e deparou-se com inúmeras crises e perdas pessoais e familiares. Mas nunca fugiu dos problemas. Sempre encarou o dia mau.

Após seu adultério com Bate-Seba, Davi, para encobrir seu pecado, que resultou na gravidez dela, primeiro mandou vir Urias, marido de Bate-Seba, a fim de que este se deitasse com a esposa e pen¬sasse que o filho era dele. Depois, não obtendo sucesso em sua empreitada, Davi ordenou que colocassem Urias na linha de frente de batalha, a fim de que este fosse morto em combate.

No entanto, Deus não permitiu que o adultério e o homicídio cometidos por Davi ficassem encobertos e impunes. O Senhor ordenou que o profeta Natã fosse ao palácio e avisasse Davi quanto às consequências de sua impiedade: dali por diante, a espada nunca mais se apartaria da sua casa e o filho gerado por Davi em Bate-Seba morreria.

O que fez Davi ante a sentença divina proclamada pelo profeta Natã? Ele disse: “Pequei contra o Senhor” (2 Samuel 12.13), reconhecendo seu erro, e Deus o perdoou. Contudo, não o eximiu das consequências de seus atos. Assim, o primeiro juízo sobreveio. A criança, fruto daquela união adúltera, adoeceu.

Mesmo sabendo que aquela enfermidade era para a morte, o que fez Davi? Enquanto a criança estava viva, o rei vestiu-se de pano de saco, jejuou e orou, apelando para a misericórdia divina. Após a criança adoecer, Davi poderia ter aceitado passivamente a morte dela. Afinal, o próprio Deus ha¬via decretado aquele juízo. No entanto, buscou Davi a Deus pela criança; e jejuou Davi, e entrou, e passou a noite prostrado sobre a terra (2 Samuel 12.16). Davi conhecia Deus e sabia que misericordioso e piedoso é o Senhor; longânimo e grande em benignidade (Salmos 103.8). Davi não desistiria sem antes tentar.

Apesar de todos os indícios desfavoráveis, Davi não se conformou. Pelo contrário, teve algumas atitudes que o ajudaram a mudar seu foco e sua postura enquanto estava passando pela prova. Essas atitudes também podem ajudar-nos. Quais são elas? Reconhecer o problema e vivenciar as emoções, não deixando que o medo domine; crer na solução; lutar em meio às adversidades; priorizar nosso objetivo; não perder a percepção da vida; buscar o Senhor e seguir em frente.

Internautas online 22