Esqueci minha senha!
Criar meu cadastro
Revista FIEL


Aumentar a Fonte   Diminuir a Fonte
26.08.2016
O poder da decisão
Você tem o poder da decisão em suas mãos. Não o desperdice, pois algumas decisões têm repercussão ao longo de toda a nossa vida, e certas oportunidades não nos são dadas nunca mais.

As decisões mais importantes da nossa vida têm um caráter pessoal e intransferível; portanto, cada um de nós precisa aprender a fazer escolhas e a tomar decisões. Não podemos fugir disso, transferindo para outros a responsabilidade de decidir algo por nós ou a culpa pelo que deu errado em nossa vida. Cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus (Romanos 14.12).

Podemos e devemos ouvir conselhos. Na Bíblia, somos, inclusive, encorajados a isso. Leia Provérbios 11.14: Na multidão de conselheiros, há segurança. E Provérbios 15.22: Onde não há conselho os projetos saem vãos, mas, com a multidão de conselheiros, se confirmarão.

Sim, na multidão de conselheiros há sabedoria e sem conselho os projetos não se firmam. Podemos até pedir conselhos e orientação ao pastor e às pessoas comprometidas com Deus, mas a decisão tem que ser tomada por nós mesmos, com a ajuda do Senhor, que é o melhor Conselheiro e Amigo, pois Ele nos ama incondicionalmente, conhece tudo e todos e vê lá na frente as consequências de nossas decisões e escolhas.

Agora, atente para o que está escrito em Deuteronômio 30.19: Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua semente.

Note que Deus ofereceu duas opções: bênção e vida, ou maldição e morte. E Ele até deu a dica: Escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua semente. Mas a escolha cabia aos israelitas. Se obedecessem ao Senhor, viveriam e seriam abençoados; se desobedecessem, sofreriam e morriam.

Nem sempre enxergamos com clareza as opções que temos nem discernimos as implicações relacionadas às nossas escolhas. Mas elas existem e precisamos saber quais são antes de decidirmos algo.

Ainda que não seja fácil analisarmos a situação de uma forma mais fria e racional quando estamos prestes a fazer uma escolha, precisamos fazer isso, evitando tomar decisões importantes quando estamos de cabeça quente.

Também é importante considerarmos outros pontos de vista, além dos nossos, porque quem está de fora do problema às vezes enxerga a situação de forma mais ampla e racional do que nós.

Além disso, nossas decisões podem dizer respeito a essas pessoas também, então é importante que se envolvam na solução, para que também se responsabilizem pelas escolhas do grupo. Afinal, como vimos em Deuteronômio 30.19, toda a decisão implica um preço a pagar e uma recompensa a receber.

Como cristãos e filhos de Deus, devemos refletir Seu amor e Sua sabedoria sempre. Então, ao tomarmos nossas decisões, precisamos ter ponderação, sabedoria, discernimento e responsabilidade, tendo a Palavra de Deus como parâmetro para nos orientar em nossas escolhas. Assim, a glória do Senhor será manifestada nelas e em nossa vida.



Internautas online 34