Esqueci minha senha!
Criar meu cadastro
Revista FIEL


Aumentar a Fonte   Diminuir a Fonte
21.10.2016
Projeto Apar
Resgatar mulheres das drogas e da marginalização e reintegrá-las à sociedade é a principal missão da Associação Projeto Amor e Restauração (Apar), localizada em Juiz de Fora (MG). A instituição atende em média de 13 a 18 internas, e o tempo de internação dura seis meses, podendo ser estendido conforme a necessidade da paciente. Este é mais um projeto que conta com o apoio da Avec, uma parceria importante para dar suporte ao tratamento das internas.

Criada em 2005, a Apar é um lugar de recomeço. O pastor Ernane Souza, presidente do projeto, conta que um dos principais dilemas enfrentados é o aumento do uso de crack. Cerca de 90% das atendidas são viciadas no entorpecente. Segundo o pastor, iniciar o tratamento e buscar desenvolver um novo meio de viver é um desafio para as dependentes: “a saída do uso diário de entorpecentes e o retorno a uma nova vida é uma guerra de grande proporção a ser encarada”, conta o presidente da Apar.

Nessa jornada, as internas possuem atividades, como manutenção e limpeza de quartos e da casa, treinamento em alimentação e aulas de educação física. Além dessas tarefas, a Apar foca na autoestima da mulher, oferecendo serviços de cabeleireiro e manicure para as internas. O projeto conta também com duas psicólogas e uma assistente social para auxiliar as pacientes e realizar um trabalho de reabilitação juntamente com as famílias.

Depois de reabilitadas, as mulheres continuam mantendo contato com a Apar. “Devido ao nosso bom relacionamento, amor e amizade com as internas, o retorno e apoio após o tratamento tem sido constante”, conta o pastor Ernane. A instituição realiza visitas e telefonemas para saber como se encontram as mulheres, e, segundo o presidente, isso tem um efeito positivo no índice de recuperação.

Esse bom relacionamento das internas com a Apar é importante. Existem também casos de algumas mulheres que retornam ao projeto para se internarem novamente por conta de recaída e fazem o tratamento de novo. Mas, além de tudo que é feito para ressocialização das internas, o lado espiritual também é tratado.

Apoio espiritual

O pastor Ernane explica o motivo de ajudarem espiritualmente as mulheres. “Nós cremos na Palavra: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus (Mateus 4.4). Sem o espiritual é quase impossível uma pessoa mudar o rumo de sua vida”, afirma ele.

O lado espiritual é tratado de forma dinâmica e demonstrativa. A Apar, com amor e carinho, usa todos os modos possíveis para anunciar as Boas Novas para as internas. Utilizam filmes e mensagens para despertar a paixão de iniciar um novo relacionamento com Deus, organizam devocionais pela manhã e à noite e, além disso, igrejas e pastores amigos realizam cultos e ajudam o projeto como voluntários.

Há 11 anos, a Apar busca reinserir as internas na sociedade e no ambiente familiar. Para alcançar esse resultado, a instituição oferece um tratamento especial voltado para melhorar a autoestima das mulheres assistidas pelo projeto e ajudá-las espiritualmente para que se livrem totalmente das drogas.


Internautas online 35