/noticia/625/silas-malafaia-e-uma-conversa-sobre-paternidade

Notícias

Silas Malafaia e uma conversa sobre paternidade

Agosto é o mês do dia dos pais. Por isso, confira essa conversa com o pastor Silas Malafaia sobre paternidade, que foi publicada na Revista Fiel

13/08/2023 Silas Malafaia e uma conversa sobre paternidade

Uma conversa sobre paternidade com o pastor Silas Malafaia.

O que considera fundamental na paternidade?
Existem três coisas fundamentais dos pais para os filhos: exemplo, exemplo, exemplo. Não há nada mais poderoso do que isso. Não é que os pais tenham que se preocupar em passar a imagem de perfeição, mas, apesar dos defeitos e limitações que os filhos percebem, ter virtudes maiores. O ser humano vive das relações sociais para amadurecer, então ter exemplo é fundamental.

Você foi um filho tranquilo?
Fui. Meus dois irmãos mais velhos foram da “pá virada”. Eu fui muito grudado com o meu pai, sempre fui da igreja, então aprontei menos e apanhei menos.

O que você pensa sobre a disciplina para os filhos?
Que o autor de hebreus estava certíssimo quando escreveu que “nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados” (Hebreus 12.11). A disciplina não é para matar, é para corrigir e colocar limite na pessoa. Pessoas que têm culpa é porque não foram corrigidas, e então se punem porque não houve punição sobre seu erro. 

O que acha sobre a importância de demonstrar afeto aos filhos?
Meu pai não era um homem carinhoso, mas era presente, e eu sabia que meu pai me amava. Mas o mundo mudou e precisamos entender as mudanças sociais. Hoje, por causa da correria da vida, tem dias que cada um vai fazer suas refeições em horários diferentes e a presença acaba não sendo tão rotineira. Então, a época que vivemos é outra e, mesmo sem ter recebido isso, entendi que era ainda mais importante abraçar e beijar meus filhos. Precisamos nos esforçar para isso.

O senhor teve dois grandes mentores - seu pai, Gilberto Malafaia, e seu sogro, José Santos. Que marcar profundas eles deixaram?
Foram duas escolas antagônicas e diferenciadas. Meu pai era um cara de decisão e empreendedor. Meu sogro era um cara super pacífico e com sabedoria de vida incrível, apascentador. Aprendi a ser homem de decisões com o meu pai e a entender pessoas com o meu sogro.

Como quer ser lembrado pelos seus filhos?
Como um cara que amou a mãe deles e um cara que, apesar de seus defeitos, tem compromisso com Deus.

Qual mensagem deixa para os pais?
Enquanto há vida há esperança. Nunca é tarde para se começar absolutamente nada. Você tem o poder de romper e fazer uma nova história. Você pode mudar, basta querer. Não adianta conjecturar, tenha atitude. Comece com coisas pequenas, fazendo pequenas mudanças, para que seja um homem melhor, um pai melhor, um esposo melhor. 

Copyright © Associação Vitória em Cristo 1982 - 2024. Todos os direitos reservados

AGUARDE